top of page

Ucrânia precisa repactuar dívida

Pagamento de títulos do país estão congelados até 2024

Crédito da imagem: Shutterstock


Após o fracasso na liberação de ajuda adicional dos EUA à Ucrânia na aprovação da última lei de despesas do governo americano, Kiev está em negociação com credores estrangeiros em busca de reestruturar sua dívida e de encontrar formas de conseguir mais dinheiro emprestado, segundo informações divulgadas pela Reuters na última semana.


O país em guerra desde março do ano passado já acumula mais de 20 bilhões de dólares em dívida junto aos possuidores de títulos ucranianos. Os compradores dos títulos concordaram ainda em agosto de 2022 que congelariam os pagamentos até 2024, por dois anos, mediante a forte crise em que a Ucrânia enfrenta devido aos gastos do conflito armado com sua vizinha maior, a Rússia.


No entanto, segundo fontes seguras sobre o tema, o comissário do governo para a dívida pública, Yury Butsa, tem buscado contactar informalmente os credores visando um novo adiamento para o resgate dos títulos da dívida, embora, as negociações oficiais estejam programadas para iniciar apenas no próximo ano. No momento, Kiev afirma que deseja "acessar os mercados mais cedo".


A revisão das dívidas está nas cláusulas de um empréstimo concedido ao país em abril de 2023 pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), no valor de US$ 15 bilhões, permitindo à Ucrânia a emissão de novos títulos como parte de uma reestruturação proposta, porém, a ação exigirá por parte de Kiev alguma forma de "reforço de crédito" como garantia aos patrocinadores externos.


コメント


bottom of page