top of page

Sem repetir rigidez com o agro, Ibama libera perfuração da Margem Equatorial

Petrobras quer explorar 16 poços em 5 anos, com previsão de R$ 3 bilhões em investimentos

Crédito da imagem: Petrobras/Agência Brasil


Apesar do excesso de restrições ao avanço do agronegócio - força motora do crescimento econômico nacional - o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente) deu o sinal verde para que a Petrobras possa perfurar 16 poços situados a 50 quilômetros da costa da Bacia Potiguar. A região integra a chamada Margem Equatorial Brasileira, e deverá ser explorada nos próximos cinco anos.


Segundo a estatal, a primeira etapa dos trabalhos irá acontecer no bloco BM-POT-17, onde devem ser perfurados os primeiros dois poços. Os técnicos da Petrobras acreditam que a região tenha potencial semelhante aos campos localizados em países como Suriname e Guiana, que atravessam recente “boom petrolífero”.


Petrobras teve licença negada no Amazonas


Até a conclusão da exploração na Bacia do Potiguar, a Petrobras estima investimentos de até R$ 3 bilhões em projetos de pesquisa e prospecção. Para evitar o comprometimento ambiental, a estatal disse que irá mobilizar 300 agentes para evitar qualquer tipo de acidente, seja com a fauna ou flora.


A liberação para explorar a Margem Equatorial acontece pouco tempo após a Petrobras ter sido impedida pelo mesmo Ibama de investir na Bacia da Foz do Amazonas. O empreendimento foi criticado com força pela ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, logo após a pasta sofrer perdas significativas em votação no Congresso.

Comments


bottom of page