top of page

Retorno de Bolsonaro ao Brasil movimenta governo e oposição

Recepção ao ex-presidente reforça forte apoio e esperança de uma oposição eficaz

A sede do Partido Liberal foi nesta manhã de quinta-feira (30) palco para o tão aguardado retorno do ex-presidente Jair Bolsonaro ao Brasil, após uma temporada de 3 meses nos EUA desde seu último dia de mandato na presidência da República. Os dias que antecederam sua chegada foram repletos de especulações e diversos tipos de ameaças veladas por parte de integrantes do PT e de outros partidos da esquerda fisiológica do país. As ameaças iam desde prisão até cassação de direitos políticos.


Entretanto, o ex-presidente parece não ter sido intimidado, e seu retorno nesta quinta-feira deixou novamente clara a sua força popular e capital político, fato que deixa todo o establishment de cabelo em pé. Aos gritos de “mito”, o novo presidente de honra do Partido Liberal, foi recebido em frente ao prédio por uma pequena multidão, onde também o aguardavam deputados, senadores e quase toda a base parlamentar conservadora e liberal.


Em breve discurso durante o evento de boas-vindas, Bolsonaro fez elogios aos parlamentares direitistas recém-eleitos e declarou que estão fazendo um bom trabalho de oposição, o ex-presidente reforçou também que a esquerda terá uma oposição e não poderá fazer “o que bem querem” com o país.


"Eu lembro lá atrás, quem é mais velho lembra disso, quando alguém criticava o Parlamento, Ulysses Guimarães dizia: 'Espera o próximo'. Desta vez, o próximo melhorou e muito. O Parlamento está nos orgulhando pelas medidas, pela forma de se comportar, de agir lá dentro, fazendo realmente o que tem que ser feito e mostrando para esse pessoal que, por ora, por pouco tempo, está no poder, eles não vão fazer o que bem querem com o futuro da nossa nação."


De acordo com Valdemar Costa Neto, presidente nacional do Partido Liberal, a expectativa é que em breve o ex-presidente Jair Bolsonaro assuma o cargo de presidente de honra do PL e comece a atuar fortemente na articulação e organização de uma sólida oposição ao governo Lula, que em 100 dias de governo já carrega um alto número de políticas desastrosas que seguem na contramão do que foi proposto por seu antecessor. Outra questão apresentada por Valdemar é o prognóstico para as eleições de 2024, onde o papel de Bolsonaro deverá ser decisivo para a expansão do partido nos cargos executivos de um grande número de municípios pelo país.


“Um dos primeiros desafios será ajudar o Partido Liberal sair dos pouco mais de 300 prefeitos para mais de mil prefeitos eleitos em 2024. Acreditamos que o presidente Bolsonaro está firmemente motivado para esse desafio”, declarou.


CRÉDITOS (Foto): EBC

Comments


bottom of page