top of page

Recorde quebrado: brasileiro pagou mais de R$ 132 bi para juízes em 2023

Maior parte dos gastos registrados pelo Conselho Nacional de Justiça foram com salários de juízes e funcionários


Trio de ministros foi bem remunerado pelo cidadão comum em 2023

O Brasil quebrou mais um recorde no ano passado - mas essa façanha não tem nada para ser comemorada. Segundo o relatório Justiça em Números, divulgado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o poder judiciário registrou despesas de R$ 132,8 bilhões em 2023, sendo a maior parte delas com salários e compra de equipamentos. 


Conforme a apuração, o valor é o maior desde o início da série histórica em 2009, e supera em quase 100% os R$ 68,7 bilhões arrecadados por órgãos de justiça no mesmo período. O montante das despesas corresponde ainda a 1,2% do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro.


Segundo o Conselho Nacional de Justiça, o país conta hoje com cerca de 446 mil profissionais atuantes em tribunais, sendo 18,2 mil juízes. O maior percentual das despesas contabilizadas em 2023 são referentes aos pagamentos desses profissionais, totalizando R$ 119,7 bilhões.


Além dos salários, os gastos incluem pagamentos de auxílios, pensões, atividades terceirizadas, diárias, gratificações e passagens aéreas. Cerca de 63% desses recursos são destinados à cobertura dos tribunais estaduais que abrangem 77% dos processos em trâmite nas cortes do país.


--


Leia todas as nossas matérias integralmente.

Assine o Rumo Econômico no link abaixo:

Kommentare


bottom of page