top of page

Rússia e Coreia do Norte voltam a esquentar a Guerra Fria 2.0

Putin esteve com Kim Jong-Un na Coreia comunista para anunciar um acordo de cooperação nas áreas de defesa, economia e política


Forças comunistas se unem e relembram guerra fria

Dois aliados do governo Lula assinaram nesta quarta-feira (19) um acordo que prevê ações de “defesa mútua” em caso ataques promovidos por forças do Ocidente. No encontro, realizado na capital norte-coreana, ditadores Vladimir Putin, da Rússia, e  Kim Jong-Un, da Coreia do Norte, concordaram em atuar de forma colaborativa em uma “parceria estratégica” que ocorreria de forma abrangente.


“O acordo de parceria abrangente assinado hoje prevê, entre outras coisas, a assistência mútua em caso de agressão contra uma das partes desse acordo”, afirmou Putin, em sua primeira viagem à Coreia do Norte desde o ano 2000.


Por sua vez, Kim Jong-Un afirmou que o pacto entre as nações não se resumirá em apoio militar, sendo também efetivo nas  áreas de política e economia.  “As relações entre nossos dois países foram elevadas ao novo nível superior de uma aliança”, celebrou o ditador norte-coreano.


Segundo encontro em 9 meses


Este foi o segundo encontro entre os líderes comunistas em menos de um ano. Em setembro de 2023, Kim Jong-Un embarcou para Moscou em um trem blindado, equipado com sala de reuniões, sensores de reconhecimento para ratificar um acordo de troca de armamentos por comida. Na ocasião, a Rússia sofria com perda de munições para dar continuidade à invasão da Ucrânia e o regime da Coreia do Norte enfrentava escassez de alimentos.


--

Leia todas as nossas matérias integralmente.

Assine o Rumo Econômico no link abaixo:

コメント


bottom of page