top of page

Queda de gigante da construção civil na China pode afetar exportações brasileiras

Apesar da derrocada chinesa, pesquisa indica “pouso suave” para economia global em 2023

Na esteira do Evergrande Group, a chinesa Country Garden Holdings anunciou perdas equivalentes a US$ 7 bilhões no primeiro semestre deste ano. Com a divulgação do balanço, a maior companhia de construção imobiliária privada do país dá fortes indícios de que a economia chinesa deverá seguir a tendência de desaceleração nos próximos meses.


Apesar da típica falta de transparência da China na divulgação de dados a respeito de sua real conjuntura, os números apresentados pela Country Garden Holdings já podem servir de alerta para o Brasil.


Com menos investimentos no setor imobiliário, os chineses poderão cortar de forma significativa suas importações de ferro. A redução, além de afetar as exportações, também deve gerar reflexos negativos na arrecadação final brasileira.


Segundo pesquisa conduzida pelo Bank Of America entre 222 administradores de fundos, 32% dos entrevistados apontaram o mercado imobiliário chinês como ponto de maior preocupação sobre os destinos da economia global. A turbulência no setor superou os cases econômicos de Estados Unidos e União Europeia, que tentam vencer ainda os desafios inflacionários iniciados na pandemia.


Apesar de apontarem a China como fator de desequilíbrio, cerca de 75% dos entrevistados pelo Bank Of America apostam em um “pouso suave” para a economia do planeta em 2023.

No caso dos EUA, o fator mais significativo seria uma debandada dos investidores dos mercados emergentes para o norte-americano, em virtude da alta de juros que deverá ser mantida pelo Federal Reserve, além da melhora no mercado de trabalho.

Comments


bottom of page