top of page

Promessa de Lula era só promessa: carnes não escapam de impostos

Populismo de Lula não adiantou. Grupos de trabalho mantém alimentos à base de proteína animal com alíquota de 40%


Picanha para mim, imposto para você: carnes ficam de fora da isenção de tributos

Nem pé de frango, muito menos picanha. O relatório produzido pelos grupos de trabalho da Câmara revelou que os alimentos à base de proteína animal não ficarão isentos da cobrança de impostos no pacote de regras da reforma tributária.


Apoiadas pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), as medidas que devem colocar o Brasil no topo dos países que mais taxam o contribuinte, apenas encaixaram os diversos tipos de carne em um sistema de alíquota reduzida de 40% - medida que irá compor um Imposto sobre Valor Agregado (IVA) entre 25% e 27,5%.


"Duvido muito, pela força que o agro tem no Congresso, que a gente consiga aprovar a reforma sem incluir proteína animal na cesta básica, acho muito difícil”, analisou o presidente da Frente Parlamentar de Empreendedorismo, deputado Joaquim Passarinho (PL-PA).


Antes da apresentação do texto final, entretanto, em mais uma de suas entrevistas que geraram consequências negativas para o já abalado mercado financeiro nacional, Lula chegou a cogitar que alguns itens mais populares seriam colocados na cesta básica com suas devidas isenções.


“Acho que a gente tem que mediar. Você tem carne que é consumida só por gente de padrão alto e você tem a carne que o povo consome. Então, você pode fazer a separação carne de frango, você não vai taxar frango. Carne de frango é o que o povo come todo dia, pé de frango, pescoço de frango, peito de frango”, analisou.


Apesar de certamente saber que o legislativo não iria zerar os tributos para os itens de proteína animal, o discurso do petista deu a entender que o governo era "um grande defensor" de menos impostos para o povão.


Na hora da verdade, prevaleceu o que os relatores da reforma tributária no Congresso definiram na EC 132: alíquota de 40% inserida no preço final de cada item, seja ele o mais popular ou aquela carne especial reservada para o churrasco do final de semana.


--

Leia todas as nossas matérias integralmente.

Assine o Rumo Econômico no link abaixo:

Yorumlar


bottom of page