top of page

Poder econômico dos BRICS maior que o do G7

Relatório aponta que PIB do grupo BRICS, em termos de PPC, deve atingir acima do dobro registrado pelo G7 até 2040

Crédito da imagem: Reprodução


A economia mundial tem experimentado rápidas e importantes transformações por meio da participação do grupo BRICS no PIB mundial, em termos de Paridade de Poder de Compra (PPC), cujos resultados têm impressionado pela velocidade de crescimento que já é maior do que o avanço das principais economias do mundo que integram o Grupo dos Sete (G7).


O relatório divulgado pela Bloomberg na última sexta-feira, aponta que os BRICS já são maiores do que o G7, sendo que em 2022 o bloco já representava 36% da economia mundial, enquanto o G7 detinha 30% de representatividade.


O BRICS é atualmente composto por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, porém, a partir de janeiro de 2024 deverá contar com a presença de Argentina, Egito, Etiópia, Irã, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos. Já o grupo G7 é formado pelas sete principais economias do mundo, ou seja, EUA, Canadá, Reino Unido, França, Itália, Alemanha e Japão.


Segundo o relatório, até 2040, a representatividade econômica (PIB) em PPC do grupo BRICS deverá atingir os 45%, enquanto o G7 atingirá apenas 21% no mesmo período. O que significa que até a data estipulada, os dois grupos terão trocado de lugar em tamanho relativo.


Além da vantagem na representatividade econômica e populacional, o BRICS expandido, terá como integrantes os maiores exportadores de petróleo do mundo, que são, Arábia Saudita, Rússia, Emirados Árabes Unidos e Irã, como também os maiores importadores do globo, China e Índia. O relatório também apontou que caso o grupo consiga transferir algumas liquidações de transações petrolíferas para outras moedas, será possível causar um efeito indireto na participação do dólar no comércio internacional e nas reservas cambiais globais.

Comments


bottom of page