top of page

Onde se escondem os verdadeiros covardes?

Foto: Ricardo Stuckert / PR


Não foi em última instância o glorioso Exército brasileiro que se acovardou, e traiu a pátria e os brasileiros!


Foi sim, aqueles escolhidos pelos eleitos pelo povo para representar, reagir e agir em nome de todos os representados no Congresso Nacional, para garantir os direitos tidos na Constituição Federal, que se omitiram indubitavelmente acobertados por mentiras e interesses inconfessos.


Por mais que uma vez, presidentes do Senado federal em exercício, se negaram a submeter ministros da Suprema Corte do país tidos sob suspeição, a um julgamento público e justo dos seus atos antidemocráticos, na Casa maior do poder legislativo para julgar ministros por crimes de responsabilidade ou de desvio de conduta, que os desclassifiquem para o exercício de ministro da Suprema Corte brasileira.


Quanto ao papel do exército nos episódios dos protestos em frente aos quartéis, deve-se por apropriado com as leis do país, ter-se que somente na desconsideração pelas determinações do Congresso Nacional, ou em caso de tentativas de agredir a autonomia devida, com falta de respeito pela Casa representante de todos nós.


Neste nefasto episódio o exército em posse das armas concedidas pelo povo brasileiro, seria sim, instado e convocado a impor a ordem, restabelecer e garantir os princípios e diretos mais singelos, que fazem uma democracia existir de fato, destarte os sofrimentos que poderiam se derivar dessa situação excepcional, para todos os que clamavam por mudanças.


Quanto ao papel individual do comandante do GSI no infame episódio e das posições assumidas pelo atual comandante do exército, o qual se mostra engajado em ideologias contrárias aos anseios dos brasileiros com ou sem a farda verde-oliva, é inegável que a generais covardes, coniventes e submissos aos inimigos da pátria, deve ser negada a honra de um toque dado pelo corneteiro da tropa, como saudação devida aos generais que honram a Força e a farda que o país lhe concedeu, em reconhecimento aos seus inegáveis valores conquistados entre os seus pares.


Por fim e para clarear o triste episódio e afastar a decepção dos brasileiros com as FFAA do Brasil, tem-se que um verdadeiro soldado deve levar para o túmulo sua imaculada honra, tida na paz ou na guerra, sem se afastar dos seus deveres de militar e do respeito às leis do país.


Que caia no esquecimento o dia da infame farsa encenada contra a democracia, e contra os brasileiros vestidos de verde e amarelo. Que amaldiçoado seja o banquete das hienas que celebram a desgraça de patriotas brasileiros.


Comments


bottom of page