top of page

Mercados reavaliam trajetória de aumento de juros

Instituições buscam estratégias perante os efeitos SVB

O presidente dos EUA, Joe Biden, tentou tranquilizar o mercado adotando medidas de emergência para garantia dos depósitos no SVB, entretanto o efeito não repercutiu da maneira desejada e até o momento, os bancos regionais estão passando por forte turbulência e queda durante o dia. Nos Estados Unidos, por exemplo, o First Republic Bank (NYSE: FRC) caiu até 76,6%, embora tenha conseguido atender às demandas de retirada até agora, com o socorro de financiamento do JP Morgan Chase (NYSE: JPM). A declaração foi de Jim Herbert, presidente executivo do credor mid-cap à CNBC. Herbert ainda acrescentou que não estava vendo uma saída maciça de depósitos.


Na Europa o índice STOXX fechou em queda de 5,8%, O S&P 500 Banking Index em 6,3%, o ETF SPDR S&P Regional Banking (NYSE: KRE ) caiu 11,6%, enquanto o S&P 500 subiu 0,26%.


Os rendimentos dos títulos do tesouro americano e os Bunds alemães também caíram consideravelmente e os mercados monetários diminuíram de forma acelerada as apostas quanto a possibilidade de novos aumentos de juros por parte do Banco Central Europeu e do Federal Reserve nos EUA.


De acordo com Quincy Krosby, estrategista chefe global da LPL Financial em Charlotte, Carolina do Norte, "O problema é que o Fed e os funcionários do governo estão fazendo tudo o que podem em termos de liquidez e cuidado com os depositantes, mas até que esses ETFs (bancários) se estabilizem, o que indica é que ainda há falta de confiança no sistema financeiro. Não estamos vendo os investidores chegarem a essas avaliações mais baixas, talvez atraentes". E continuou: "O KBW e o KRE são os indicadores do sistema financeiro regional, e o que estamos vendo agora é que eles ainda estão afundando." "Você pode ouvir um anúncio do Federal Reserve, apesar do fato de que eles estão em um período de blecaute."

Comments


bottom of page