top of page

Lula esnoba mais uma vez o Congresso e convida MST para discutir Plano Safra

Plano ligado à agricultura familiar foi convocado pelo ministro Paulo Teixeira em meio à ofensiva da Câmara contra o MST


Lula: cada vez mais perto do MST e longe do Congresso

Em meio ao desastre humanitário e econômico que destruiu lavouras no Rio Grande do Sul e tem gerado preocupação sobre o futuro das colheitas o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) decidiu desafiar o Congresso e convidar o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra) para opinar a respeito da composição do Plano Safra 2024/2025. 


Além do MST, a gestão petista também incluiu outras instituições de menor representatividade, incluindo a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Brasil (Contaf) e o Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA). Junto ao MST, as entidades ficarão incumbidas em programar a aplicação de R$ 70 bilhões ligados à agricultura familiar. 


Organizado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, comandado por Paulo Teixeira, a pasta simplesmente apontou “a relevância das organizações representativas” para a inclusão do MST nos grupos de trabalho. 


Lula desafia mais uma vez o Congresso


A decisão de abraçar o MST de forma explícita acontece em um dos momentos mais delicados da facção invasora comandada por João Pedro Stédile. Isso porque a Câmara  aprovou por 336 votos a 120  no último dia 24 um projeto de lei do deputado Marcos Pollon (PL-MS) que impede os invasores de propriedades de receber benefícios de programas do governo federal, como o Bolsa Família, além de tomar posse em cargos e funções públicas.


A convocação do MST para integrar as discussões do Pronaf 2024/2025 foi condenada pelo ex-presidente da CPI que investigou as ligações do governo com o movimento. 

“Por mais que o MST cometa toda sorte de crimes e irregularidades, jamais o PT irá se afastar ou punir o movimento”, destacou o deputado Luciano Zucco (PL-RS), que hoje coordena a Frente Parlamentar Invasão Zero. 


--


Leia todas as nossas matérias integralmente.

Assine o Rumo Econômico no link abaixo:


Comments


bottom of page