top of page

Lula fala em plenária com pouca audiência no G-77 contra embargos a Cuba

Presidente brasileiro também teceu elogios à cooperação Sul-Sul

Crédito da imagem: Cubadebate.


Em discurso na cúpula G-77+China realizado na manhã do último sábado (16), o presidente do Brasil, Luis Inácio Lula da Silva (PT), falou perante uma plenária quase vazia, onde deveriam estar presentes os chefes de Estado de pelo menos 16 nações e delegações de ao menos 100 países.


Pouco depois das 9h (horário local), ao ser chamado pelo presidente cubano e anfitrião do evento, Miguel Díaz-Canel, para discursar, Lula foi ao palco sem parecer compreender que de fato deveria começar a falar enquanto a plateia continuava em silêncio, sem aplausos.


Em seu discurso de 10 minutos, iniciado após auxílio de sua equipe, Lula lançou duras críticas aos Estados Unidos e seus embargos contra o país governado por Canel, como também a inclusão da ilha na lista de nações que financiam o terrorismo no mundo.


Ao mesmo tempo, o presidente brasileiro debulhou elogios a respeito da diversidade do G-77, que representa 79% da população mundial, enquanto deixava clara sua insatisfação contra, segundo ele, a falta de representatividade dos mecanismos multilaterais da atualidade. Lula usou também a oportunidade de fala para cobrar países mais desenvolvidos economicamente quanto às mudanças climáticas, vindo por fim a exaltar a cooperação Sul-Sul, sobre a qual declarou ser o Brasil um pioneiro.

Comments


bottom of page