top of page

Jerome Powell mantém coerência em alerta sobre taxa de juros dos EUA

Fala do presidente do FED "assustou" mercados, mas não foge da linha estratégica do chefe da política monetária americana


Jerome Powell - Agência Brasil/EBC


O discurso do presidente do Federal Reserve (FED), Jerome Powell, que gerou tumulto nos mercados financeiros do Brasil e do exterior nessa quinta-feira (9) não pode ser considerado “supreendente”.


Embora não tenha alterado a taxa básica de juros após a reunião do comitê de política monetária da semana passada, o dirigente do banco central norte-americano têm dado todas as pistas de que a guerra dos EUA contra a inflação ainda está distante de acabar.


Durante o painel “Desafios da política monetária em uma economia global” organizado pelo Fundo Monetário Internacional, Jay Powell, deixou claro que o trabalho do FED para chegar à meta de 2% de inflação ainda não foi o suficiente.


“Estamos trabalhando para criar uma política monetária capaz de esfriar a inflação e atingir a meta de 2%, mas não estamos confiantes de ter chegado ainda nesse patamar”, afirmou o dirigente.


Powell aposta na coerência - e paciência - para alterar a taxa de juros


Em clara postura de coerência, logo após decidir manter os juros entre 5,25%-5,50% (mesmo índice desde julho), Powell declarou na semana passada que iria observar os números até o final de 2023 para tomar decisões quanto a uma eventual alta na taxa.


“A depender dos resultados até o final do ano, a conjuntura “poderá colocar em risco novos progressos na inflação e justificar um maior aperto da política monetária”, alertou.


Em outro evento no Economic Club de Nova York em 20 de outubro, o presidente do FED já cogitava a necessidade de observar os resultados positivos a médio e longo prazo para saber se os preços estavam realmente em trajetória de queda.


“Alguns meses com dados positivos representam somente o começo do que deve levar para construir a confiança de que a inflação, realmente, está em trajetória de queda”, declarou.













Comments


bottom of page