top of page

Jerome Powell sinaliza que FED ainda pode aumentar juros em 2023

Após manutenção da taxa, presidente do banco central dos EUA disse que poderá revisitar indicador em caso de "superaquecimento" da economia


Após o Comitê de Mercado Aberto do Federal Reserve (FED) decidir manter nessa quarta-feira (1º) a taxa referencial de juros entre 5,25%-5,50% ao ano - mesmo resultado desde julho - o presidente do banco central dos Estados Unidos, Jerome Powell, declarou que a taxa ainda poderá ser revisada para cima, caso a atividade econômica do país continue dando sinais de fortalecimento.


“A depender dos resultados até o final do ano, a conjuntura “poderá colocar em risco novos progressos na inflação e justificar um maior aperto da política monetária”, afirmou o dirigente.


Outra observação colocada pelo presidente do FED destaca os rendimentos dos títulos de longo prazo, que ficaram mais elevados nos últimos dois meses. Para Powell, a persistência desse comportamento também pode influenciar na política monetária.


“Se as condições financeiras persistirem, certamente elas podem ter implicações na trajetória da política monetária. Portanto, continuaremos vigiando essa evolução financeira”, complementou.


Manutenção dos juros causa efeito no mercado brasileiro


Logo após o anúncio feito por Jerome Powell sobre a manutenção dos juros anuais da economia dos EUA, a B3 registrava alta de 1,36% a 114,6 mil pontos, após chegara a bater na casa de 2%. No câmbio, o dólar também operava abaixo dos 5 reais às 17h, a R$ 4,97 no câmbio oficial.



Comments


bottom of page