top of page

Ibovespa tem alta na semana, apesar da Petrobras

Dólar cai mais de 1%



O Ibovespa registrou um leve aumento de 0,1% nessa sexta-feira, fechando em 128.150,71 pontos, e acumulando uma alta semanal de 0,43%, apesar da pressão negativa da Petrobras após a demissão de Jean Paul Prates do comando da empresa. A Vale, por outro lado, foi um suporte significativo, beneficiada pela alta do minério de ferro em resposta às novas medidas para o setor imobiliário na China.


O volume financeiro do dia somou R$ 23,87 bilhões. O pregão foi relativamente estável, sem grandes notícias, com a Petrobras ainda sob pressão devido à possível revisão do plano de investimentos, o que poderia reduzir os dividendos.


Em Wall Street, o S&P 500 teve um ganho modesto após um início de semana otimista, apoiado por dados que sugerem que o Federal Reserve pode começar a cortar os juros em setembro. Entretanto, declarações cautelosas de autoridades do Fed, incluindo Michelle Bowman, indicam que ainda há necessidade de mais evidências sobre a desaceleração da inflação.


Analistas observaram que o Ibovespa está preso no curto prazo entre 130.000 e 127.100 pontos, e que um rompimento desses níveis pode indicar os próximos movimentos do mercado. Se ultrapassar os 130.000 pontos, o índice pode buscar os 131.700 e 134.400 pontos, enquanto uma queda abaixo de 127.100 pontos pode levá-lo de volta aos 123.300 pontos.

 

Destaques do Pregão.


- PETROBRAS PN caiu 1,66%, ainda impactada pela troca de comando na estatal. Magda Chambriard foi indicada pelo governo para acelerar investimentos e impulsionar emprego e renda.


- VALE ON subiu 1,96%, impulsionada pela alta do minério de ferro na China, após o banco central chinês disponibilizar US$ 138 bilhões em financiamento extra e flexibilizar regras de hipoteca.


- ITAÚ UNIBANCO PN teve um leve aumento de 0,03%.


- BRADESCO PN subiu 0,52%.


- GERDAU PN caiu 2,54% após ganhos significativos nos últimos pregões.


- 3R PETROLEUM ON saltou 7,14% após aprovação da incorporação da Enauta, formando uma empresa de petróleo com alto potencial de crescimento. ENAUTA ON subiu 3,65%.


Dólar.


O dólar à vista fechou a sexta-feira com uma queda de 0,54%, a R$ 5,1031, influenciado por diversos fatores, incluindo declarações do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, que afirmou não prever novos cortes na taxa Selic no momento. Exportadores também aproveitaram os níveis mais altos para vender moeda, e o dólar caiu globalmente.


O real foi beneficiado pela alta do minério de ferro no mercado internacional, devido aos esforços da China para sustentar seu setor imobiliário, e pela percepção de que o Brasil, com juros mais altos, continua atraente para o capital internacional.


--


Leia todas as nossas matérias integralmente.

Assine o Rumo Econômico no link abaixo:

Comments


bottom of page