top of page

Holanda em recessão em meio a retração inflacionária

Estimativa aponta retrocesso de 0,3% no segundo trimestre de 2023

A Statistics Netherlands divulgou na semana passada uma primeira estimativa anual a respeito dos resultados econômicos da Holanda, e o resultado não é animador. Sendo a quinta maior economia da União Europeia, a Holanda oficialmente passou a ser um dos primeiros países do bloco a entrar em recessão.


Após um crescimento de quase 5% ao ano em 2021 e 2022, que representou uma rápida recuperação pós crise sanitária de Covid-19, o país sofreu duas quedas trimestrais consecutivas, sendo que no primeiro trimestre o recuo foi de 0,4%, seguido de 0,3 ponto percentual no segundo trimestre de 2023.


Sendo a primeira vez que a Holanda entra em recessão desde o baque econômico artificial de 2020, os números negativos são reflexo direto da redução das exportações do país, como também da diminuição dos gastos dos consumidores, tendo em vista o reflexo da elevação da inflação no aumento dos preços dos alimentos e na conta de energia no país, para citar alguns fortes impactos.


A inflação teve seu pico em setembro do ano passado, chegando a 14,5%, enquanto a elevação registrada no segundo trimestre de 2023 foi de apenas 6%, ou seja, encontra-se menos intensa do que no ano passado. Mesmo assim, em números, a redução das exportações nos meses de abril, maio e junho caíram 0,7%, ficando abaixo do registrado em janeiro, fevereiro e março, enquanto os gastos do consumidor reduziram em 1,6% no mesmo período.

CRÉDITOS (IMAGEM DE CAPA): Carl Court/Getty Images

Kommentare


bottom of page