top of page

Fim de ano legislativo pressiona Haddad por 'déficit zero'

Últimos dias de atuação parlamentar disputa atenções com COP28

Crédito da imagem: Diogo Zacarias/Ministério da Fazenda


O Ministério da Fazenda, liderado por Fernando Haddad (PT), precisa correr contra o tempo neste fim de ano, tendo em vista a quantidade de medidas consideradas cruciais na tentativa de alcançar o polêmico "déficit zero" prometido em sua gestão para o ano de 2024. Um dos maiores desafios enfrentado atualmente pelo ministro é o encerramento das atividades parlamentares em alguns dias, o que faz com que Haddad e sua equipe tenham um tempo cada vez mais escasso para avançar as pautas do governo antes do próximo ano.


Atrelado ao primeiro, está outro fator que dificulta o acesso do governo aos parlamentares, a realização da COP28, em Dubai, que esvaziou as atividades do Congresso Nacional na última semana, em Brasília.


Dentre as medidas mais urgentes que o governo precisa aprovar antes da paralização sazonal do parlamento, estavam a reforma tributária, a regulamentação de incentivos federais baseados em subvenções estaduais, a tributação periódica de fundos exclusivos e offshore, a taxação de apostas esportivas e alteração do mecanismo de Juros sobre Capital Próprio (JCP), além dos projetos de Orçamento do ano que vem. Algumas delas caminharam durante a semana, no entanto, a meta ainda não foi concluída.


Embora integrantes do governo mesmo confirmem a dificuldade do governo em aprovar uma grande quantidade de projetos já em tramitação, e conte com a possibilidade de precisar adiar algumas dessas pautas para o ano que vem, boa parte deles está otimista, e veem no governo a disposição de negociar o teor dos projetos em prol de alcançar uma votação mais célere.

Comentarios


bottom of page