top of page

Encontro de Lula com empresários em Portugal tem críticas à Selic e negativa à venda de estatais

Presidente do Brasil vem de sequência de discursos polêmicos pela Europa

Em viagem oficial a Portugal desde a última sexta-feira (21), o presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT) decidiu realizar discursos incômodos ao mercado e às relações políticas internacionais do Brasil. Nesta segunda-feira (24) o alvo voltou a atingir o Banco Central brasileiro quanto a sua política de taxa de juros e também a política de venda de estatais adotadas pelo governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).


Em discurso durante o Fórum Empresarial Brasil-Portugal, em Matosinhos, na região do Porto, Lula declarou “a nossa taxa de juros é muito alta, é muito alta. No Brasil, a taxa Selic, que é a taxa referencial, está a 13,75%. Ninguém toma dinheiro emprestado a 13,75%, ninguém", e declarou que a política de juros impede que o Brasil se desenvolva como um país capitalista.


Ademais, Lula reiterou algumas de suas falas em período de campanha e condenou a recente leva de vendas de estatais ocorridas no governo anterior, reforçando suas promessas de encerrar o período de privatizações ao declarar: "No Brasil, não vamos vender as empresas públicas. Queremos convidar os empresários para fazer parcerias naquilo que a gente precisa criar de novo". De acordo com o petista em sua fala aos empresários, as estatais foram vendidas "simplesmente para pagar juros da dívida pública".

Comments


bottom of page