top of page

Disparidade nos gastos

Atualizado: 16 de set. de 2023

Um contraste entre Lula e Bolsonaro no uso do dinheiro público

Os gastos no cartão corporativo dos presidentes são um reflexo direto de sua responsabilidade na administração dos recursos públicos. Ao compararmos os valores gastos pelos presidentes Luís Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL), fica evidente uma disparidade significativa que merece atenção e análise crítica.


Durante o mandato de quatro anos de Jair Bolsonaro, os registros apontaram um total de R$ 27,6 milhões em gastos no cartão corporativo. Esse valor é considerado razoável e está dentro das expectativas para um período de quatro anos de governo.


Por outro lado, os gastos de Lula em apenas quatro meses de mandato já alcançaram a impressionante cifra de R$ 12 milhões. Esses números são alarmantes e revelam uma preocupante falta de controle e responsabilidade no uso do dinheiro público.


É importante destacar alguns aspectos específicos dos gastos de Lula que geram questionamentos sobre a conduta do atual presidente em relação ao discurso de governar em prol dos mais necessitados. Entre esses gastos destacam-se despesas com hotéis de luxo e móveis de alto padrão, que não condizem com uma postura coerente com o compromisso de governar para os menos favorecidos.


Considerando o ritmo atual de gastos, se essa tendência se mantiver até o fim do mandato, projeta-se um valor exorbitante em despesas com o cartão corporativo durante o governo Lula. Estima-se que, caso o padrão atual persista, os gastos ao longo do mandato do petista podem ultrapassar a marca de R$ 144 milhões.


Essa projeção aponta para um potencial desperdício de recursos públicos que poderiam ser direcionados para investimentos em áreas essenciais.


A discrepância entre os gastos dos dois presidentes evidencia uma falta de cuidado com o dinheiro público por parte do atual. Esses gastos supérfluos e incompatíveis com o discurso de governar para os pobres revelam uma hipocrisia que merece ser questionada e debatida pela sociedade.


Em suma, a comparação dos gastos no cartão corporativo entre Lula e Bolsonaro demonstra uma disparidade alarmante. Enquanto os gastos de Bolsonaro se mantiveram dentro de um patamar razoável ao longo de quatro anos, os gastos de Lula em apenas quatro meses são excessivamente altos. Essa situação levanta sérias preocupações sobre o uso adequado do dinheiro público e a coerência entre o discurso político e as práticas efetivas de governo.


Comments


bottom of page