top of page

Com vinil em alta, canadense resgata loja que impulsionou carreira dos Beatles

Empresário Doug Putman anuncia volta da loja HMV original dia 24/11, em Londres


HMV nos anos 1960


Em 13 de fevereiro, véspera do Valentine’s Day de 1962, o empresário Brian Epstein decidiu passar na His Master Voice Records localizada ao número 363 da movimentada Oxford Street, em Londres, para encomendar alguns acetatos produzidos no andar superior da loja, inaugurada em 1921 pela gravadora E.M.I.


Contudo, o que supostamente deveria ser apenas um monótono compromisso para divulgar as gravações dos Beatles registradas na Decca Records naquele ano novo, acabou se transformando em um evento histórico de proporções globais.


Foi na tradicional HMV, situada estrategicamente na região central da capital inglesa, que Epstein conheceria o maestro George Martin - responsável por produzir e alavancar a carreira de John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr durante os 8 anos em que o quarteto de Liverpool funcionou como grupo.


Após atravessar fases complexas, fechar e reabrir inúmeras vezes, a HMV original - e pivô na carreira dos Beatles e de inúmeros grupos - voltou à ativa mais uma vez na quinta-feira (24), superando o seu maior adversário em mais de 100 anos: a pandemia de covid-19 que obrigou os donos a encerrarem as atividades em 2019.


Empresário canadense aposta na tradição da HMV


HMV Oxford Street pronta para a reabertura


O responsável direto pela verdadeira ressurreição da HMV na Oxford Street é o empreendedor canadense Doug Putman, atual dono da marca. Além de se inspirar no legado da HMV original, Putman não é conhecido por desprezar ótimas oportunidades.


Embora afetada pelo avançado da música digital comercializada por players como Deezer, Spotify, Apple Music e YouTube Music, a HMV ainda permanece resiliente na verdadeira arte de comercializar mídias físicas, como CDs, LPs, DVDs e outros itens ligados à indústria fonográfica.


Impulsionado pelo lucro de R$ 416 milhões, gerado pelo crescimento de quase 67% das vendas da HMV no Reino Unido em 2022, Doug Putman pensou imediatamente em unir o rentável à tradição.


A HMV é uma instituição e o nº 363 será o “próximo nível” dos negócios. "É algo bom para a rua Oxford e servirá também para eventos especiais. Você pode fazer algo diferente em cada andar, e ainda criar algo para todos.”, ressaltou o empresário ao confirmar a reabertura do estabelecimento.


Crescimento das vendas de discos motivaram retorno da HMV



De acordo com a BPI (Indústria Fonográfica Britânica), 2022 foi o 15º ano de crescimento na venda de discos de vinil no Reino Unido, com cerca de 5,5 milhões de unidades comercializadas.


O resultado é ainda mais impactante quando o público consumidor do produto é analisado. De acordo com a BPI, 80% dessas vendas foram motivadas por lançamentos de artistas relativamente novos, como Taylor Swift e Arctic Monkeys.


Em outras palavras, o público mais jovem está apostando em LPs - e até mesmo em CDs - em vez de somente escutar suas músicas em Apps de streaming.


Com os negócios em alta, a HMV Oxford St. parece retornar no melhor timing da indústria nos últimos anos.

“O vinil-revival tem sido um dos mais bem-vindos negócios de anos recentes da indústria. No início, essa tendência era movimentada apenas por fãs de artistas mais antigos. Hoje, ela é baseada, principalmente, em uma geração mais nova”, ressalta o presidente da BPI, Geoff Taylor.

コメント


bottom of page