top of page

Bancos Centrais elevam aquisição de ouro em 176% no 1º trimestre

Segurança do metal atrai as instituições financeiras em todo o mundo

Perante um cenário de difícil previsão, com constantes oscilações e riscos iminentes de gatilhos para uma crise global, os investidores buscam cada vez mais por investimentos que possam garantir certo nível de segurança para seu patrimônio. Dentre eles, estão os metais preciosos, especialmente o ouro.


O metal dourado tem funcionado ao longo dos anos como um lastro seguro não apenas para indivíduos, mas também para Estados e instituições de diversos setores. Recentemente, os Bancos Centrais de diversos países parecem estar buscando no ouro uma preparação para grandes impactos econômicos que podem surgir a qualquer momento, e a desconfiança fica clara quando observado o crescimento na aquisição do metal por parte de tais instituições.


Apenas no primeiro trimestre de 2023, os Bancos Centrais, adquiriram ouro em 176% a mais, se comparado com o mesmo período de 2022. A informação é do Conselho Mundial do Ouro que apontaram a aquisição de 228 toneladas do metal às reservas globais, por parte das autoridades monetárias. No ano anterior foram 82,7 toneladas.

Comments


bottom of page