top of page

Bancos americanos rebaixados pela S&P têm condições operacionais ‘difíceis’

Atualizado: 11 de set. de 2023

Agência de classificação aponta dificuldades do setor bancário dos EUA

Em meio a impasses sobre elevação ou recuo das taxas de juros para o mês de setembro, a economia americana fica cada vez mais frágil e imprevisível perante incertezas quanto ao setor bancário. Prova disso é a desconfiança de gigantes de classificação como a S&P Global que contou as notas de crédito diversos bancos dos Estados Unidos e chamou atenção para os desafios ao setor causados pelos riscos de financiamento e menor lucratividade.


Entre os rebaixados em um ponto estão o Associated Banc-Corp, o Valley National Bancorp, devido aos riscos de financiamento e maior dependência de depósitos intermediados, o UMB Financial Corp, o Comerica Bank e o Keycorp, sob a alegação de altas taxas de juros, além de fortes saídas de depósitos.


A agência também alertou que os altos índices de taxas de juros dos Estados Unidos estão sufocando a liquidez dos bancos e os depósitos ainda disponibilizados pelos bancos garantidos pelo FDIC (agência seguradora de depósitos) deverão ter uma redução durante o período de “aperto quantitativo” do Fed.


Após o colapso do Silicon Valley Bank e do Signature Bank no início de 2023, e do contágio em gigantes europeus, a confiança nas instituições bancárias foi abalada de forma grave e gera ainda muitas incertezas ao mercado. A S&P é a segunda agência de classificação a realizar cortes no rating de instituições americanas, no início do mês a Moody’s rebaixou 10 bancos em um nível e colocou outros seis revisão.

Comments


bottom of page